Saturday, January 13, 2007

Um desejo

Dançar contigo Tell me why dos Supermode.



Numa pista escura
rodeados de
milhares de anónimos insignificantes
que não vemos.
Numa praia de areia macia,
molhados pela energia alaranjada
da água morna.
No cimo de um arranha-céus, ao meio-dia.
Vidrados
um no outro e trocando
com o movimento
olhares cúmplices.
Vendo-te aterrar em mim,
enquanto te controlo com a respiração.
De olhos fechados
e em curvas
de cem cores.



Só tu e eu.

13 comments:

m said...

perfeito!

Maria Strüder said...

Bonito, amoroso, saboroso mas...
Muito conto erótico da revista maria.

canetas said...

Não acham bem mais romântico dançar nesses sitios um "slow", bem juntinho á pessoa que amamos. Aproveitando cada lento minuto da música que passa, bebendo cada palavra e sussurrando as partes mais bonitas ao ouvido do nosso par.

Eu dançaria um Marvin Gay, um D'angelo, um Isaac Hayes.

Mas opiniões são opiniões.
E gostos não se discutem.

Joana said...

Mágico

Sofia said...

É a revolução musical no romance.

“(...)Vendo-te aterrar em mim, enquanto te controlo com a respiração.”
Pensava q flutuavam. Os dois.

Vejo fatos cinzentos e gravatas às riscas a olhar pasmados das janelas de arranha-céus vizinhos. Acessos de coragem e cartas de demissão.
Complexos de culpa e convites para jantar. Para os mais tímidos, e-mails a perguntar pelo fim-de-semana.

Garantido: nessa tarde, toda a gente trabalhou de headphones.

Que grande Momento me acabaste de dar LG.
Estás para a música como JB Grenouille para os cheiros.

Scaramanga said...

Muito bom, mas prefiro:

"Let's get it on" de Marvin Gay
Uma garrafa de vinho.
Uma sala com lareira.

m said...

... previsivel de mais

Bhagavad-gitá said...

o romantismo depende da nostalgia diária de cada um.marvin gaye, barry white (voz mais sensual da história musical) e quem sabe ... supermode. a adrenalina psicadelica tem algo de fascinante. atinges o céu num instante de mil luzes. sim, gostaria de dançar isso com uma pessoa amada.

Miguel Costa said...

Não sei porquê, mas acabo sempre por me dar à liberdade de comentar neste blog, embora às vezes isso não me faça sentido - talvez porque não sou amigo do El-Gee, apesar de saber quem ele é, e porque não conheço as caras, não conheço os rostos dos que nele costumam participar, conheço apenas os "nomes", os comentários, e o que deles extraio. Porque o li uma vez e continuei a le-lo, acabo por comentar. Não sei se será "normal", porque também ainda não sei o que é "normal" no mundo dos blogs. Ainda assim, aqui vai

Reagindo a Canetas, e Scaramanga,

Para mim, não há cenários românticos à partida. Aliás, para mim, são clichés.
Os jantares à luz da vela, a lareira, a musica X, o vinho, por si só, nada valem.
Podem ser românticos para uns(mesmo para esses podem correr mal e serem tudo menos românticos), lamechiches idiotas para outros.
Perfeitos, mágicos para uns, muito conto erótico para outros.

Comum em tudo o que possa ser considerado romântico é, para mim, a sintonia de estados de espirito, sentimentos, felicidade, cumplicidade, (talvez erotismo) de cada "tu e eu".

(Claro que muitas vezes a força desses "clichés" pode estimular inconscientemente a tal sintonia)

Para mim, quanto mais imprevisivel, mais romântico.

"a adrenalina psicadelica tem algo de fascinante" - assino por baixo

canetas said...

O romance é sem dúvida o tema mais quente do mais de mil vozes no fim de 2006 e principios de 2007.

Veja-se por exemplo a discussão no post "2 honeybear".

A meu ver é um excelente tema. Um tema que eu, pelo menos, posso "discutir" até á exaustão com o maior prazer, atenção e curiosidade.

Claro que o romance é como cada qual. Um cliché pode ser romântico, depende da "sintonia de estados de espirito, sentimentos, felicidade, cumplicidade, (talvez erotismo) de cada "tu e eu", para citar a laboriosa enumeração do Miguel.

Neste caso o meu comentário prendia-se inteiramente com a música e era uma mera opinião.

Basicamente cada um "extrai" romance de onde o sente.

Para mim é romântico dançar um slow agarradinho (maximus clichéssimus). Dispenso mais qualquer adereço.

Preciso apenas da pessoa que amo ou com quem gosto de partilhar os meus sentimentos.

Até pode ser no pior sitio do mundo porque sei que, no momento, vou estar de olhos bem fechados, noutra dimensão.

Flutuar parece-me o verbo certo.

Docinho said...
This comment has been removed by the author.
Docinho said...

Acho que vou ter de concordar com o miguel costa... Realmente quanto mais imprevisível fôr uma situação mais romântica o é. Os clichés esgotam-se, há que improvisar. Para ser romântico basta mesmo apenas o "tu e eu", o resto surgirá naturalmente. Jantares à luz das velas, em sítios panorâmicos, pedidos de casamento no topo da torre eiffel, é tudo mto bonito mas já claramente batido. No fundo não interessa o sítio, a vista, o que se faz, o que se dá ou recebe. O que realmente interessa é com quem se está na altura!

Ainda assim prefiro Portishead a todas essas propostas musicais... digamos que é mais "selvagem"!

Sofia said...

Portishead Portishead Portishead.
God bless your voice Beth Gibbons.

E porque de flutuar se trata - Beautiful.