Tuesday, November 18, 2008

Blue Meridian

Ontem comprei o meu primeiro Matthiessen. Liguei a um dos meus melhores amigos, que logo me respondeu enfurecido que era "uma estupidez bárbara" eu gastar o meu "dinheiro todo num quadro". "Ainda por cima", acrescentou, já irado, "os impressionistas eram uns bêbedos. Compraste os gatafunhos de um bêbedo!"

O último pintor que este meu amigo consegue tolerar é o Courbet, e a partir daí, segundo a crenca dele, a história da pintura afogou-se em alcool.

"Matthiessen pá", tentei eu interromper, "Matthiessen", e ele continuava, "Já ouvi pa!! Já ouvi!!", e discorria, furibundo, "uns bêbedos pá! Uns assassinos da estética! Franceses de merda, esses gajos e mais o fauvismo! És um alarve! Devias morrer afogado em absinto! Nunca me pagaste um copo e agora empatas nao sei quantos milhoes numa merda dum quadro!"

- Mas qual quadro porra. Seu idiota!
- Idiota és tu!! Quanto é que pagaste por isso?
- 20 dolares. Pá eu comprei um Matthiessen, nao foi um Mat..
- 20 dolares??? 20 dolares? Entao compraste uma merda dum poster??
- Nao pá, comprei um l..
- Porra, que susto. Achei que tinhas comprado um quadro mesmo. Que ingenuidade a minha. Como se tu tivesses dinheiro. Entao que reproducao compraste? Isso é tudo a mesma merda..
- Pá eu nao comprei um quadro pá, nem um poster, comprei um livro, um livro pá, do Matthiessen, Peter Matthiessen, o escritor.
- Foda-se.
- Foda-se o que?
- Percebi Matisse.
- Pois eu sei.
- Que idiota.
- Pois.
- Engoles as palavras. A culpa é tua!! Falas para dentro! Aprende a falar!
- Nao percebeste nada!
- E nao me avisavas?? Tava paqui a babar-me todo já pá, nem tava a perceber onde tinhas ido arranjar dinheiro. Pensei que tinhas comprado uma aguarela, vê lá, uma folha qualquer rasgada de um caderno antigo do gajo enquanto era estudante.
- Tu és uma besta.
- Ouve lá, mas quem é esse gajo? Que livro compraste?
- Peter Matthiessen. Comprei o Blue Meridian. 
- Nunca ouvi falar disso. Mas o nome soa familiar. É o que escreveu  o Snow Leopard?
- É. Nunca li.
- Pois nem eu, mas é o unico desse tipo de que ouvi falar..
- Pois, eu tambem so tinha ouvido falar desse. Pa este gajo escreveu imensos livros. Este é sobre tubaroes - uma expedicao em que o gajo se meteu nos anos 60 em busca de tubaroes-brancos. Na altura o mergulho nao era como é hoje.
- E que tal?
- Pá e optimo. Era mesmo o que eu queria. É incrivel. Parece feito para mim, este livro. Era mesmo o que eu gostava de fazer.
- Mas ja acabaste a pastoral?
- Pá nao. Vou a meio.
- Entao tas a ler os dois?
- Comecei a ler este no comboio à vinda para casa e leio a pastoral à noite..
- E nao te baralhas um bocado..
- Um bocado. Nao sei. So passou um dia. Este é nao-ficcao. Nao tem nada a ver. Mas acho que vou comecar a ler só este e deixar a pastoral a amadurecer durante uma semana.
- Entao mas e o Swede??
- O Swede Levov?
- Sim!
- Perguntaste-me o que vai ser do Swede Levov durante uma semana?
- Sim! Que vais fazer ao gajo?
- Ao Swede Levov??!
- Sim!!
- Eh pa, o Swede Levov que sa foda!

Desligou, ofendido. 



"Having no air bladder to buoy them and lacking a true breathing apparatus, most sharks must draw oxygen from the water pouring through their open jaws and washing over their gill surfaces, and are doomed to keep swimming, open-mouthed, from birth to death. Because they do not weigh much more than the water they displace, their movements seem effortless; they glide forever through the seas like missiles lost in space"

Peter Matthiessen, Blue Meridian (1971)

3 comments:

Bhagavad-gitá said...

esse teu amigo é que é um idiota. Claramente n percebe nada de arte e muito menos de impressionismo e fauvismo. Não se desprezam momentos numa história da arte. muito menos esses momentos. Qt a ti, aproveita a leitura ;)

Bhagavad-gitá said...
This comment has been removed by the author.
cindy said...

Os impressionistas eram uns bebâdos? Os impressionistas eram uns preguiçosos! Bebâdos eram os surrealistas!!