Friday, March 09, 2007

Curvas e linhas rectas

Where to, where do I go?
If you never try, then you'll never know
How long do I have to climb
Up on the side of this mountain of mine?

Coldplay - Speed of Sound



Quando a mente rodopia em espirais e as folhas caídas se levantam desgarradas num compasso desajeitado de sopro uivado, o chão fica descoberto e podemos olhar para o que está por debaixo de nós.

Sob os nossos sonhos e projectos, está a nossa base de valores, o nosso fundamental. O que nos faz andar? O que distingue uma realização pessoal de uma condição essencial à nossa estabilidade emocional? E que condição é essa?

Acabo de me demitir de um dos melhores empregos que há em Lisboa e, com isto, de decidir passar os próximos anos da minha vida a batalhar por um lugar no Mundo.

Em Outubro, maisdemilvozes passa a ser escrito desde Londres.

Em Janeiro de 2008 muda-se para Hong Kong, NY, Genève, Singapura ou permanece em Londres.

No Junho a seguir muda-se para outra dessas cinco cidades e em Dezembro de 2008 para outra.

Em Julho de 2009, 18 meses e três capitais mundiais depois, poderá voltar a ser escrito de Lisboa, ou então de qualquer outra cidade do Mundo.

Que salto no escuro.

Sinto-me a pessoa mais frágil e mais poderosa do Mundo.

Poderosa porque num ano e meio vou viver em 3 cidades diferentes num dos maiores bancos do Mundo, frágil porque sou só um pequeno português que adora a família e o país.

Um puto com sonhos.

Há que persegui-los.

Hoje foi quando eu disse: “Até já Lisboa. Até já estabilidade, futuro previsível, jantar na mesa e roupa lavada. Até já mãe, pai, avô e avó, até já meus amigos e irmãos. Até já nostalgia. Até já jantares às sextas, miúdas do Lux, early twenties em Lisboa.”

E depois disse, com um olhar totalmente deliciado e aterrado: “Olá Mundo. Espero que me trates bem.”

E agora, é sexta-feira e vou mas é para o Algarve, que também não é nada mau.

10 comments:

makoka said...

É realmente assustador deixar tudo para trás, sem qualquer ideia de quando vai ser o regresso, e pior ainda, do que vamos encontrar pelo caminho. Se bem que com outra(s) idade(s) e responsabilidades completamente diferentes, deixar tudo e desafiar "o mundo" é parte essencial da história da minha pequeninissima vida!

Não te vou dizer que nunca estou mais perdida, ou a precisar de uns almoços grátis, ou com saudades do céu limpo de lisboa, ou das noites bem passadas com amigos que falam a nossa língua, mas digo-te que me dá um gozo brutal ser independente, viver a minha vida, e ter escolhido aquilo que quero estar a fazer! Há sempre momentos mais assustadores que outros, voltar a "casa" (que no meu caso já se tornou, qual casa?) e ver que o mundo não parou por te teres ido embora (!), e pior ainda quando a adrenalina passa e eu tenho de olhar para trás e aperceber-me da montanha que me dispus a subir, é verdadeiramente aterrorizador. Mas há demasiadas coisas boas pelo caminho para me vir a arrepender de tais decisões!

Aproveita bem o teres idade, disponibilidade, e mente aberta ao suficiente para te tornares um cidadão do mundo! Londres é irrealisticamente caro, mas espetacular, Hong Kong (dito por alguém que viveu uns bons anos lá pertinho) é dos melhores sítios de sempre (e só espero ter a sorte de um dia conseguir trabalhar lá por uns tempos!)...

...espero que seja das tuas melhores experiências dos ultimos tempos!

Boa Sorte! E vai "postando" notícias do mundo!

m said...

Nao há melhores empregos em Lisboa, nem no mundo.
Há os melhores empregos consoante cada um de nós.
Para ti o melhor emprego poderá ser estar à frente de uma multinacional, assim como para mim poderá ser estar à frente de uma carpintaria.

A decisao de mudar de vida e principalmente de país/continente, implica arriscar, ter coragem e virarmo-nos para a descoberta e para mim isso é um dos motores da vida!

O banco para onde vais por acaso não é um japonês?

Maria said...

Então sempre conseguiste trabalho em Londres! Suponho que na concorrência, visto que nunca mais me disseste nada :) Não te preocupes,No heart feelings!
Sei bem o que deves estar a sentir, "a pessoa mais frágil e mais poderosa do Mundo"...
Tenho que concordar com a Makoka: é verdade que é assustador (e muito) deixar tanta coisa para trás e dar um salto no escuro onde tudo é desconhecido, onde não há o conforto de uma casa de familia nem um ombro de um amigo,onde temos de batalhar a cada dia por ir criando novos laços com pessoas tão diferentes que muitas vezes não nos dizem nada. Também é verdade que as saudades apertam, não só das pessoas mas dos sítios, da comida, do sol...
Mas digo-te, daqui a uns anos vais olhar para trás e ver que valeu a pena.Mesmo as partes más. Faz tudo parte de uma experiencia de vida que é só tua, mais um passo na tua formação como pessoa. Tamos a crescer e chegou a altura em que tu (como eu) já tiveste a tua dose de jantar na mesa e roupa lavada e agora há que fazer pela vida!Custa, mas vale a pena.
Vai. Vai com a certeza que as pessoas que de facto são importantes continuarão sempre lá para ti, assim como as noites de lux :)
Cá te espero em Londres!

astuto said...

Gostava de ter a tua coragem. Muitas vezes apetece-me mandar a vida de merda que tenho às urtigas... Outras, lembro-me d"As Amoras" do Eugénio de Andrade:

«Ninguém ignora que não é grande,
nem inteligente, nem elegante o meu país,
mas tem esta voz doce
de quem acorda cedo para cantar nas silvas.»

Cumprimentos e boa sorte!

Maria Strüder said...

O que nos faz viver são os interesses pessoais pelos quais vamos lutando dia-a-dia.
Invejo-te pela dinâmica e disponibilização para viver.

Vee said...

Passo por aqui ás vezes, adoro o que escreves mas este hj foi diferente pq sei mesmo do que falas.

Claro que o micro-bolha de lisboa é um conforto halucinante. Claro que arriscar é sempre um risco mas acaba sempre por ser uma escolha acertada, independentemente dos altos e baixos, do bom e do mau. Aprendes sempre, a nível profissional, a nível pessoal.

Com o passar do tempo, com o "cresceres" a tua realização pessoal pode não ser muito diferente de uma condição essencial mas sim uma ponte para a tua estabilidade emocional.
Acho que cada vez mais, se temos a oportunidade, devemos lutar pelo lugar no mundo e quem sabe eventualmente voltar mais tarde a lx.
Londres tá ao lado de lx e sempre que queiras, que sintas a necessidade, voltas a lx num pliss plass. É de certeza mais fácil do que ny ou hk.

Tal como tu, batalho pelo meu lugar no mundo. Estou fora há um ano e meio e nao há adrenalina melhor, de não poder controlar muita coisa e sabe bem.

Somos novos e se não é agora que batalhas quando será?

Acima de tudo diverte-te. Absorve tudo o que possas.

Bhagavad-gitá said...

Levame contigo.. Estou a falar a sério.

Liu ShenLong ( 柳 绅 龙 ) said...

Estou ha uns largos minutos (sem fazer refresh) a pensar em algumas palavras de apoio ou de incentivo para te ajudar com o que vim a aprender no ultimo ano e meio.
And "Beyond your wildest Dreams" just isn't good enough to describe it.
Do yourself a favor:
Vai ler o teu post "Eram dois".
pensa 5 min...
Le-o outra vez...
E dps percebe que onde quer que vas, e porque tens de ir. Nao porque e o escritorio novo para onde te vao mandar, mas por causa dessa coisa que tens no fundo de ti que te faz dar um passo a direita quando todos dao um passo a esquerda sem qualquer razao.
bemvindo ao mundo
See you in Hong Kong?
Abr.

silvinha said...

Estou na China apenas a 1 mes e meio e apesar de ter sentido mais saudades da familia, amigos e namorada do que estava a espera, acho que fiz a escolha certa. Estou a conhecer mais sobre mim agora que talvez no resto da minha vida. Estar fora, alem da experiencia unica, tem tambem uma grande vantagem: dar valor ao que se tem em Portugal. Acho que isso e* importante.

Abc e boa sorte

Docinho said...

Grande Luís, como te invejo... Força aí nessa aventura e há-de ser tranquilo. Lisboa é uma grande cidade, disso não há dúvidas e este fim-de-semana que passou provou-o, mas está sempre aqui á tua espera. Podes aventurar-te à vontade sabendo que, mais cedo ou mais tarde, o bom filho a casa torna. Vais, concerteza, perder coisas muito boas mas ganhar outras tão boas ou melhores. Sei, ou calculo eu, que não fazes isto só por ser uma oportunidade de conhecer mais um bocado do mundo ou por saíres de Portugal. Não fazes isto pelas viagens apenas, como eu certamente faria. Tenho a certeza que pensaste em tudo até ao mais pequeno pormenor e que a tua decisão vai para lá de ponderada. Vais curtir, vais crescer, vais ter momentos fodidos, acredita, mas vais-te conhecer...

Londres, pessoalmente, diz-me 0, Hong Kong e Singapura devem ser inacreditáveis. Genéve também não me diz grande coisa, agora NYC... Meu grande cabrão! A cidade dos meus sonhos. Algum dia hei-de viver em NYC!

Acho que fazes optimamente e não imaginaria outra pessoa que não tu a fazer isso. Já provaste que és um autêntico cidadão do mundo.

Aguardarei posts magníficos dessa experiência.

E mais uma vez, Lisboa está cá sempre...