Monday, September 17, 2007

Para não esquecer

Eu gosto muito dos Lobos, mas há que pôr as coisas no lugar..

5 comments:

Amarcord said...

Luigi,

Acho que não podes pôr a fasquia do desempenho no mm nível quando comparas amadores com profissionais.
Nem podes pôr no mm saco rugby e futebol num país como o nosso. Muito menos esperar que movam as mesmas massas, sobretudo quando uns jogam em casa e os outros não.

Podes sim avaliar se o tempo de antena dado ao bom exemplo de humildade, patriotismo e fair-play dos Lobos é ou não excessivo. Mas com a falta de breaking news que paira no dia a dia dos media em Portugal (nem os McCann nem o tratado podem ser mais espremidos) é natural que isso aconteça.

E sabes que mais? Também não é por aí que vem o mal ao Mundo, porque há muito boa gente que nem perder sabe... e não propriamente por estar habituada a ganhar.

El-Gee said...

eu nao ponho fasquia nenhuma, ate gosto imenso de os ver jogar e acho que se batem com imenso profissionalismo apesar de serem amadores. sinto muito orgulho de os ver jogar.

mas desde o murro do Scolari e a medalha de ouro do Nelson Evora ja vi muita gente a escrever mal da seleccao de futebol, e que Atletismo e Rugby é que é.

Eu so estava a chamar a atenção, porque o Português esquece rápido, especialmente com esta deprimente e mesquinha classe jornalística que temos por cá.

Amarcord said...

por isso é que tu e eu devíamos ter ido ver os Massive Attack em vez de estar a comentar o teu blog (não desfazendo em maisdemilvozes, que tão bons momentos me dá).

mc said...

Este video e uma maravilha e traz me memorias impossiveis de esquecer! raras coisas me fariam estar a vomitar as 6 da manha quando tinha um exame nacional de ingles no dia seguinte (as 11 da manha se nao me engano).
Isto e O Futebol!
Vi o agora umas quantas vezes seguidas, como ja o tinha visto antes. E pena ja nao termos esta Voz.
Quanto aos lobos, pessoalmente acompanhei os jogos e nem sempre foi facil, como contra a Nova Zelandia que dormi duas horas e acordei as 8 locais. orgulhei me deles. Vibrei com os hinos. Mas ja estou como tu, nao e a mesma coisa. E que no rugby, fico maioritariamente feliz por eles, pelos jogadores, por saber que estao a viver o seu proprio sonho e nao ha nada melhor do que isso e tambem pelo merito que tem por nao serem profissionais.
Ja no futebol os jogadores dao nos a alegria de vivermos um sonho que tambem e nosso.

nobre said...

Orgulho-me de poder dizer que estive presente nos dois acontecimentos e não preciso de pensar duas vezes se tiver de escolher o que mexeu mais comigo...