Wednesday, December 06, 2006

A impotência do tempo

Pequim, China
copyright: El-Gee

12 comments:

canetas said...

Não percebo o que queres dizer com o titulo.

Se puderes explicar agradecia.

El-Gee said...

Posso, mas não explico. Uma fotografia fala por si, e quando alguém lhe dá um título está a dar uma pista ao espectador, o que já perverte a sua essência: um pequeno excerto da realidade que cada um assimila como quiser.

Vês nesta fotografia o que quiseres ver, e só lhe dei um título para - no egocentrismo de quem capturou a imagem - tentar alinhar a tua interpretação com a minha intenção ao tirar a fotografia.

O título serve para a imagem não ser um excerto solto da realidade, mas sim uma fracção da realidade que alguém (o "fotógrafo") decidiu destacar do resto do que o rodeava, através do quadrado limitado que forma uma fotografia.

Na sua essência, a imagem deveria ser auto-suficiente, mesmo que vejas nela algo de completamente diferente daquilo que eu vejo.

Se reconheces o título na fotografia ou se, pelo contrário, vires nela algo completamente diferente, é algo que não me compete a mim como "fotógrafo" manipular.

Aliás, se não compreenderes o título, talvez possas não compreender a interpretação do fotógrafo da sua fotografia, mas compreendes algo muito mais belo, que é a tua individualidade e a tua independência para julgares o momento, que o fotógrafo captou, à luz da tua sensibilidade.

Miguel Costa said...

juntando isto

" Some Chinese mainlanders still believe Mao Zedong as a great leader, but they also know that he did many bad things when he was old. According to Deng Xiaoping, Mao was "seven parts right and three parts wrong", and his "contributions are primary and his mistakes secondary." "

com isto

"Most historians think that about 70,000,000 people died because of Mao's bad ideas"

Acho que faz sentido perguntar como é que um erro que significa milhões de mortes ainda pode ser considerado secundário hoje em dia.
E como é que o responsável por esse erro ainda possa ser venerado, 30 anos depois da sua morte.

Talvez seja mesmo a impotência do tempo.

(http://simple.wikipedia.org/wiki/Mao_Zedong ( simple english) )

El-Gee said...

Sem dúvida que é essa a impotência do tempo.

Para mim há outra, também, mais física, mais impregnada na pose dos guardas.

xico leitao said...

epa vai aki um link pa um video dum gajo k ja teve em todo o lado do mundo...eu fico arrepiado sempre que vejo porque acho k passa bem a mensagem...http://www.youtube.com/watch?v=bNF_P281Uu4

El-Gee said...

alto video! eu ja tinha visto um desse gajo, mas nao era esse! pelos vistos fez um update...

Anonymous said...

acho q o titulo nao podia estar mais adequado, ou sera que apenas me estou a deixar influênciar pelos egocentrismos do fotografo?! quanto ao facto das fotografias falarem por si só, estou perfeitamente de acordo. A fotografia é uma visão da realidade, e a realidade é algo mutável, que varia consoante o olhar de cada qual.

um instante apanhado e conservado no tempo. O INSTANTE. algo que me faz feliz, apenas olhando.

El-Gee said...

adorava saber quem escreveu isto.

Anonymous said...

nao consegues adivinhar?

El-Gee said...

definitivamente, os comentários anónimos têm os dias contados neste blog.

Anonymous said...

achei q gostarias de comentarios com ventos do andaluz... mas s calhar enganeime ;)

El-Gee said...

Isabelinha..