Tuesday, August 21, 2007

Planos para depois

Quando mais uma dezena de vendedores entram no meu apertado autocarro na Nicaragua, tenho vontade de filmar mais uma destas cenas.

- Agua de coco! Agua de coco!!
- Tamales, tamales! Tamalitos a cinco!
- Caramelos! Caramelos para los niños!
- Agua de coco! Agua de coco. Permiso. Gracias. Agua de coco!
- Mango, sandia, mango..quantos? A diez son!
- Caremalos a dos cordovas..
-..agua de coco! Dos por diez!
- "Sangwich" de pollo! "Sangwich" de jamon!
- Caramelos! Caramelos de fresa e limon!
- Platanos fritos! Con chile o sin chile? Hum, a tres. Dos? Aqui esta..
- Permiso. Mango, fruta fresca!

E o autocarro continua a sua marcha imparavel pela estrada esburacada fora. Eu suo o calor tropical de uma janela enferrujada meio aberta ate ao limite e admiro o verde-vivo da paisagem e o enorme vulcao que se eleva na distancia. Sorrisos de dentes dourados acompanham a minha apertada angustia, a tshirt que se cola ao corpo, a mochila que me pesa sobre os joelhos. Atravesso a Nicaragua. Pela Panamericana fora.

"Por la panamericana", poderia chamar a este livro de retratos imaginario que me preenche a fantasia. Ultimamente tenho pensado no espectacular livro de fotografias que podia fazer desta viagem. Bastavam para isso duas coisas que nao tenho: uma maquina maior do que a minha Nikon de bolso e a vontade de abdicar das Experiencias para ficar com as Fotografias.

As grandes fotografias so se conseguem tirar quando elas mesmas sao o objectivo do dia, da viagem, da busca. E dificil interagir amigavelmente com alguem num autocarro e depois registar essa pessoa num grande plano. Seria necessario abdicar do respeito dessa pessoa para conseguir tirar-lhe uma grande fotografia sem que se ofendesse. E dificil divertir-me no Estadio Nacional de Tegucigalpa e capturar a essencia dos fanaticos adolescentes que me rodeiam, em imagem. Em paisagens, teria de estar disposto a abdicar de todo um dia para esperar pela hora perfeita, pela luz perfeita.

Um dia hei-de fazer uma viagem com o objectivo unico de tirar boas fotografias. Nao vou procurar viver os momentos, nem apreciar as pessoas e as conversas, mas apenas dedicar-me a Espera e Busca pelo momento perfeito e a imagem perfeita. E que boas fotografias poderia ter tirado nestes dois meses! Expressoes antigas em vestidos coloridos. Sorrisos inocentes de criancas adultas. A chuva que cai sobre uma casa de madeira podre. Carrocas guiadas por velhos agricultores numa estrada esburacada. Verdes vulcoes abencoando um carro de bois.

Mas nao, desta vez procurei apenas viver os momentos e captura-los, toscamente, aqui e ali, numa imagem, para mais tarde os recordar melhor.

"Por la Panamericana". Que belo livro de fotografias ficou pelo caminho.

2 comments:

Lorena said...

Cá esperamos por esse "Por el mundo desconocido" numa próxima viagem.

Sempre compraste caramelos? Ou o que gostas é do cariz mercantil da situação?

Abraço

Joana said...

Para já deliciamo-nos com as palavras que retratam momentos e para as quais arranjamos imagens no nosso imaginário. Depois alimentaremos os olhos com as fotográfias. :)

beijinhos**