Sunday, April 13, 2008

Um gajo vem a Bond Street e pensa "eh pá um dia tenho que ser rico e comprar isto tudo!". E depois pensa "Que merda de gajo em que eu me transformei.". Nesse momento, a Zara de Oxford Street ganha uma dimensao quase esoterica, ultimo reduto de uma simplicidade que afinal ainda nao foi completamente dominada.

2 comments:

S.B. said...

Acho que deve ter algo a ver com Londres. As tuas palavras são precisamente as mesmas que um amigo meu me disse ontem em Oxford Street. Londres só pode ser o antro do consumismo. Ou então é de nós - emigras - e das nossas carências de casa, que procuramos saciar no conforto dos objectos.

inespimentel said...

... e não é essa a ideia?
Se não fôr isso o que é que sobra?