Thursday, April 17, 2008

Oracular Spectacular

Dizem os criticos que estamos de volta a mais um periodo musical neste blog. (Musica é o maior grito de vida para quem nao tem tempo para escrever.)

Isto a mim desperta-me qualquer coisa que ainda estou para identificar. Para ja representa o regresso a Inglaterra de um grande amigo, cheio de alheiras, farinheiras, morcelas e chouricos. Depois, mais na essencia, leva-me ate ao calor irreverente de veroes passados. Com atencao, ate me leva a veroes ainda mais passados, que nem vivi. Acho que isto é como uma conversa entre os Arcade e o Peter Gabriel em casa dos Placebo.

(Claramente, um encontro quase exclusivamente de homens..)



E o melhor de tudo é que, com esta musica, parecem ter acertado com um dos temas recorrentes neste blog e nesta cabeca.

"decisions are made and not bought
but i thought this wouldn't hurt a lot
i guess not
"

O resto do CD tb é optimo. O meu amigo dizia com razao que as bandas independentes se tornaram numa moda tal, que todas acabam por ser noticia. E ele continuava, com razao, que hoje ha que discernir as boas das mas. Ha uns anos, quando se ouvia falar de uma banda independente, era porque a banda tinha chegado a fama e, em principio, era boa. Agora que é moda, todas sao minimamente mediaticas. Eu acho que MGMT faz parte do lote das boas bandas deste ano. (Hadouken, por quem meia Londres anda a esticar os cabelos, nao faz.)

E, por hoje, parece-me que é tudo.

Aliás amanha vou a Lisboa. Nao tenho telemovel portugues, mas vou andar pelos sitios do costume, se alguem me quiser ver.

4 comments:

Filipe Canas said...

O electric feel, que é a canção número 1 é óptima bem.

As restantes são indiferentes.

Filipe Canas said...

Ótima aliás.

Raquel said...

Talvez te veja, talvez não; para já apenas gostava bastante de encontrar o teu livro: como se chama? Obrigada!

El-Gee said...

Chama-se "Um certo Olhar" da Editora Palavra. Desculpa pelo atraso a responder.