Monday, July 09, 2007

"Doce de la noche en La Habana, Cuba"

Certos paises nao permitem comparacoes. Uma vez la, a mente divaga criticamente em busca de semelhancas, paixoes, pormenores e justificacoes. É tudo em vao. Um dia, quando compreender Cuba verdadeiramente, talvez lhe dedique mais do que nove linhas. Ate la, tantas memorias, tantos pensamentos, e tanta confusao na minha cabeca. Cuba fez-me questionar o Bem e o Mal. Penso, hoje, que nao ha bem nem mal, como nao ha certo nem errado. Talvez nem haja sequer, na Humanidade, coerencia. Seja como for, tenho tempo para ir pensando nisso.

6 comments:

canetas said...

Tu a caminho do relativismo.

As voltas que a vida dá meu caro.

Um abraço.

joaovitor said...

cuba cuba só conheço a do alentejo lol...

Maria Strüder said...

Uns em aventuras bonitas e outros a estudar isto não é justo =(
Beijinho para ti.

makoka said...

� tudo relativo... secalhar h� demasiado mundo para que alguma coisa fa�a sentido...

Lorena said...

Olá!

Antes de mais quero saudar esse teu espirito aventureiro que te levou à isolada ilha de Cuba sozinho.

É um território que tenho curiosidade em visitar, especialmente no regime em vigor, pois creio que depois da morte de Fidel, muito mudará. Mas isso explicarme-ás tu, quando regressares ou num próximo novel.

Por cá os Arcade Fire e os Bloc Party perguntaram por ti, numa bela semana de Super-Bock.

Abraços

MiSs Detective said...

cuba.. cuba é assim, tal como se vê autêntica, genuína!